Sepa e Funtac se reúnem com associação de moradores e produtores da Reserva Chico Mendes para atender demandas por meio do programa REM Acre

 Da Redação   – 14h06min

Por Arinelson Morais

A equipe de monitoramento da Unidade de Coordenação do Programa (UCP) REM Acre da Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão (Seplag), junto à Secretaria de Estado de Produção e Agronegócio (Sepa) e à Fundação de Tecnologia do Estado do Acre (Funtac), esteve reunida nesta segunda feira, 12, com representantes da Associação dos Moradores e Produtores da Reserva Extrativista Chico Mendes em Brasileia e Epitaciolândia (Amoprebe), em Brasileia, para conhecer as necessidades dos associados e integrar ações para melhorar a qualidade dos serviços realizados.

A equipe de governo reuniu-se com a Associação dos Moradores e Produtores da Reserva Extrativista Chico Mendes em Brasileia. Foto: Arinelson Morais/UCP

A principal pauta da reunião foi viabilizar um diálogo entre as instituições para possibilitar a estabilidade e sobrevivência da Amoprebe, que conta com mais de mil produtores e extrativistas associados, que contribuem anualmente com a manutenção dos prédio e dos servidores. 

Romário Campelo, presidente da associação, relata seu sentimento diante da atual situação financeira da instituição: “A gente teme que as portas da associação se fechem; nós somos os representantes dos produtores, e eles recorrem à gente quando o ramal precisa de melhoria”.

A extinção da instituição ocasionaria uma perda significativa na busca de qualidade de vida e reivindicações de melhorias dos ramais onde moram os associados.

Para a chefe da equipe de monitoramento da UCP, Lucélia Filgueira, a reunião foi importante para alinhar informações e firmar parcerias. “É importante que o governo possa se aproximar da comunidade e saber quais as necessidades da instituição, otimizando os recursos e mostrando novas possibilidades de projetos e maneiras de captar recursos”, avaliou.

O programa REM Acre, por meio da Sepa, já atua junto à associação, por meio do projeto Subsídio da Borracha, do subprograma Territórios de Produção Familiar Sustentável, que busca possibilitar o desenvolvimento sustentável da comunidade extrativista com o fortalecimento da cadeia de valor da borracha. Agora o objetivo é identificar novos produtores e extrativistas para os demais projetos desenvolvidos, possibilitando a ampliação do número de beneficiários do programa e de associados.

A principal pauta da reunião foi viabilizar um diálogo entre as instituições para possibilitar a estabilidade e sobrevivência da Amoprebe. Foto: Arinelson Morais/UCP

O programa REM é fruto de cooperação financeira entre os governos do Acre, da Alemanha e Reino Unido, para implementação de projetos voltados para a conservação das florestas que, por meio de diversos órgãos, beneficiam milhares de produtores rurais, ribeirinhos, extrativistas e indígenas. A sigla REM significa REDD Early Movers, em português, REDD+ para Pioneiros.

Também estiveram presentes na reunião a chefe da equipe de monitoramento da UCP-REM, engenheira florestal Jéssica Sampaio; o coordenador do programa REM Acre no âmbito da Funtac, Tom Sérgio Oliveira; o membro da equipe técnica da Funtac, Victor Domingos; o  coordenador do programa REM Acre no âmbito da Sepa, Davilson Cunha; a engenheira agrônoma da Sepa, Suhelen de Souza; o secretário de produção da Amoprebe, Raimundo Alves; e a secretária de finanças da Amoprebe, Delícia Araújo.